Pensa numa pessoa ciumenta, dramática, estranha, ás vezes chata, teimosa, insuportável, difícil de entender, feliz e infeliz. Pensou? Então, sou eu.”
Clarice Lispector  (via mudesuamente)
Aí a pessoa pergunta o que aconteceu, e seus olhos enchem de lágrimas.”
Querido John.    (via suavizou)
Olho para trás e vejo aquela menina que queria entender tudo, com medo de que não coubesse tamanha quantidade de informação dentro de si. Coube e ainda cabe. E quanto mais entra, mais sobra espaço para a dúvida. Compreendo hoje que nunca entenderei a morte, os sonhos, a sensação de dejá-vu e as premonições. Nunca entenderei por que temos empatia com uma pessoa e nenhuma com outra. Não entendo como o mar não cansa, nem o sol. Não compreendo a maldade, ainda que a bondade excessiva também me bote medo.”
Martha Medeiros.
Amar não é só beijar e abraçar. É saber parar uma briga porque sabe que não vale a pena. É saber que nem sempre estará tudo bem. E acima de tudo saber que um te amo fortalece a relação, mesmo depois de brigar. Pelo simples fato de não desistirem mesmo passando por momentos difíceis.”
Charles Bukowski
A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos. A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro. A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos. Tudo bem. O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum é amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos. Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.”
Chico Xavier.  

hikikomoiri:

It’s okay to say that I don’t like this
Because I don’t
And it’s okay to say I don’t care
when I do

Gostava mais quando conseguia imaginar grandeza nos outros, mesmo que nem sempre houvesse.”
Charles Bukowski.  (via d-istopia)